top of page

Canyon Itaimbezinho

      Entre Praia Grande - SC e Cambará do Sul- RS,  está o acesso ao Canyon Itaimbézinho que conta com guarita de aceso, estacionamento e centro de informações. 

      Há duas trilhas a serem percorridas: a Trilha do Vértice e a Trilha do Cotovelo.

      Na trilha do Cotovelo, além de caminhar um bom trecho pela mata de araucária, ao seu final temos belas vistas para os paredões abruptos que compõem o Canyon, os desfiladeiros chegam a mais de 700 metros de altura e a 07 km de extenção nesta trilha são 6 km ida e volta de caminhada por uma antiga estrada.

      Já na trilha do vertice, caminhamos pela matinha nebular, floresta típica das bordas dos canyons. A trilha é parcialmente calçada, e há diversos mirantes com vista para as cachoeiras que formam o Canyon, são elas: Andorinhas e Véu da Noiva

      Este é um dos passeios mais realizados por turistas que visitam a região. Seus aspectos poderão oportunizar ao visitante uma compreensão mais abrangente dos ecossistemas aqui existentes.

A visita inclui duas caminhadas, sendo uma de 30 minutos e a outra de 2 horas ida e volta.

Canyon Itaimbezinho vista da Cachoeira

       Itaimbezinho é um nome de origem Tupi-Guarani, ita significa pedra e Ai be afiada. 

       Está localizado entre Cambará do Sul e Praia Grande, no Parque Nacional dos Aparados da Serra, a 21 Km da Cidade dos Canyons. 

       O acesso ao parque é possível através da RS-429 ou pela SC-290, em uma estrada de chão batido.

 

       Sua formação rochosa existe a pelo menos 130 milhões de anos e é um dos maiores do Brasil, sua extensão atinge 5.800 metros e uma largura que varia entre 200 e 600 metros. Sua profundidade máxima é de 720m. As paredes de cor amarelada e avermelhada são cobertas, de ponto em ponto, por vegetação baixa. Ao redor do cânion os pinheiros nativos completam a paisagem.

 

       O Rio Perdizes desce as paredes rochosas para formar a cascata Véu de Noiva de uma beleza sem igual, esta cai de uma altura de 700 metros, produzindo uma bruma antes de atingir o fundo do cânion. No azulado do cânion, como gigantesca serpente, o Rio do Boi se move preguiçosamente entre as pedras, formando uma série de caprichosas cachoeiras, que deslizam para o vizinho Estado de Santa Catarina.

Mais Informações sobre a formação Geológica e Paleontológica dos Canyons, baixe o PDF publicado pela SIGEP no ícone ao lado.

Canyon Itaimbezinho

Como se formaram os Canyons!

 

       Basalto é uma rocha magmática porque resulta da consolidação do magma (material ígneo que está no interior do globo terrestre) e é chamado também de rocha magmática extrusiva porque sua consolidação ocorreu na superfície.

       A cerca de 137 à 150 milhões de anos atrás a terra era formada por um único continente chamado de Pangéa.

       Todo esse território era constituído de um deserto chamado de bacia sedimentar do Paraná. Então aconteceu o que na geologia é chamado de “Derrames Basálticos” ou seja, esse deserto se rachou e o magma do centro da terra imergiu e alagou uma área de 1.000.000 Km². O magma vinha do centro da terra a uma temperatura de 10ºC resfriava e solidificava ao mesmo tempo. Assim ocorreram 13 derrames basálticos.

       A 135 milhões de anos as placas tectônicas começaram a se mover e o continente de Pangéa começou a se separar, dividindo-se primeiramente em dois continentes que passaram a chamar de Laurasia e Gondwana.

       Conforme as placas tectônicas se moviam, estes dois continentes também foram dividindo até formarem os continentes que a gente tem hoje. Com essas divisões as bordas aqui do planalto ficou cheio de rachaduras que comparado ao que é hoje não eram quase nada. A partir destes 135 milhões de anos para cá o rio veio causando erosão e veio formando o canyon.

       ”O canyon nada mais é do que o fruto da erosão do rio”

       CANYON – fenda profunda e sinuosa cavada pela erosão do rio.

bottom of page